A Bot oferece, além do ORÇAMENTO GRATUITO, a RECOLHA GRATUITA do dispositivo por frete expresso em qualquer morada de Portugal! Solicite AQUI

O seu computador está lento demais para as suas necessidades? Essa é uma das principais reclamações dos utilizadores. Principalmente de quem usa programas muito pesados, que exigem bastante do sistema. Mas nem sempre é preciso gastar uma fortuna para melhorar o desempenho do disco rígido. Uma das opções pode ser o RAID 0, um conjunto de dois ou mais discos, ou SSDs que pode deixar o dispositivo mais rápido.

RAID é uma técnica desenvolvida nos anos 1980, mas que ainda faz bastante sucesso. Isso porque o princípio de funcionamento dos discos rígidos não mudou tanto de lá pra cá, ainda que o armazenamento e a velocidade tenham evoluído bastante. Essa tecnologia costuma ter dois objetivos: deixar o sistema de discos mais rápido ou mais seguro.

Quando falamos de velocidade, o mais indicado é o RAID 0. Enquanto o RAID 1 é responsável por melhorar a confiabilidade dos discos. Também é possível utilizar os dois métodos combinados, no chamado RAID 10. Mas por enquanto, explicaremos como funciona a primeira opção. Continue a ler e veja como essa técnica pode ajudar você a atualizar esses componentes!

Arquivo corrompido

O que é RAID 0?

RAID é uma sigla para Redundant Array of Inexpensive (ou Independent) Disks, que pode ser traduzida como “Arranjo Redundante de Discos Econômicas (ou Indepedentes)”. Basicamente, são formas de conectar unidades de armazenamento para funcionarem em conjunto.

Dentro dessa técnica, existem algumas variações e o RAID 0 é um deles. Nesse caso, trata-se de um conjunto de dois ou mais discos rígidos que permite dividir a gravação de informações entre eles. Assim, a divisão de dados registar uma parte de cada informação num disco, aumentando expressivamente a velocidade do dispositivo.

É como se um ficheiro tivesse a metade do tamanho que tinha antes, o que agiliza bastante a gravação nos discos.

Como funciona o RAID 0?

Ficou confuso sobre essa divisão? Então falaremos um pouco mais sobre como funciona o RAID 0. Primeiro, é importante entender que cada byte de informação é formado por unidades binárias chamadas bits. Quando você utiliza um sistema em RAID 0, essas unidades são distribuídas e cada parte fica em um dos discos desse arranjo. Isso agiliza a gravação e leitura, levando à melhora na velocidade de gravação e leitura dos dados, de forma geral.

Para ilustrar, podemos fazer uma comparação simples: é como ter que ler mil páginas sozinho ou dividi-las com um amigo, em que cada um lê metade delas simultaneamente. Vocês vão chegar ao final bem mais rápido.

Capacidade

A capacidade de armazenamento do RAID 0 dependerá dos discos instalados no arranjo. Para chegar a um resultado, basta multiplicar a capacidade de cada disco com a quantidade de discos que serão utilizados simultaneamente. Por exemplo, se você utilizar 2 discos de 1TB, o resultado será uma capacidade de 2TB.

Mas preste atenção. Caso você use um disco menor e outro maior, a capacidade sempre vai ficar limitada pelo primeiro. Um disco de 2TB com outro de 4TB, por exemplo, fará com que o arranjo tenha apenas 4TB de capacidade total. Afinal, as informações são divididas entre eles e não há a possibilidade de gravar mais dados em um dos discos do arranjo.

Velocidade

Como você viu até aqui, a principal vantagem do RAID 0 está no ganho de velocidade. Arranjos desse tipo podem dobrar o desempenho do seu computador. Mas é preciso prestar atenção: em alguns sistemas de colaboração em equipa o ganho de velocidade pode não ser tão significativo quanto naqueles que o utilizador opera o arranjo sozinho. Por isso, é importante avaliar se o RAID 0 é a melhor opção para as suas necessidades.

Segurança

Outro fator que você deve considerar ao considerar o RAID 0 é a segurança. Como os dados são divididos entre dois (ou mais) discos, você pode perder tudo caso um dos discos apresente problemas. Por isso, esse tipo de arranjo não é recomendado para armazenamento de dados muito importantes ou que não possuem backup, por exemplo.

Quais são os riscos de implementar um arranjo RAID 0?

Como explicamos, o RAID 0 não tem uma forma de espelhamento dos dados. Ou seja, fica muito mais difícil recuperar os seus ficheiros caso um dos discos falhe definitivamente. Esse é o principal risco ao implementar um arranjo do tipo.

No caso do RAID 1, por exemplo, os dados são copiados de um disco para o outro. Isso não gera o ganho de velocidade que o RAID 0, mas melhora a confiabilidade. Por isso, é importante avaliar qual a sua principal necessidade ao optar por esses arranjos.

É possível montar arranjos RAID 0 com discos diferentes?

Pode ser que você tenha um disco rígido sobrando em casa e queira testar o RAID 0. Mas tome cuidado. Nem sempre essa é uma boa ideia. Arranjos que utilizam discos de fabricantes, modelos ou capacidades diferentes podem acabar causando problemas, porque o sistema precisará equilibrar constantemente o desempenho de todos. Isso pode gerar uma sobrecarga.

Além disso, componentes diversos podem ter diferentes capacidades de suportar variações de temperatura, choques físicos, entre outros fatores que causam falhas no disco.

Quais são as principais aplicações de usar o RAID 0?

Como você viu, o ganho de velocidade é a maior vantagem do RAID 0. Já a confiabilidade não é seu ponto forte. Por isso, o ideal é utilizar esse arranjo em situações nas quais o desempenho é mais importante do que a segurança.

Alguns exemplos são edição de vídeo e áudio profissionais, renderização, pós-produção, ficheiros de transição e outras atividades de alto processamento com baixo custo de implementação. O importante é que você tenha backups atualizados desses ficheiros.

Como recuperar um RAID 0?

Mas, como você viu, discos rígidos estão sujeitos a falhas. E se acontecer de um dos seus discos começar a falhar, é possível que todos os seus dados fiquem inacessíveis. Nesses casos, o primeiro passo é entender se o disco está desconectado ou com erro.

Para isso, desligue o computador e conecte o disco. Em seguida, ligue novamente e veja se o problema se resolveu. Caso o erro persista, é bem provável que um dos seus discos esteja a falhar. Nessas horas, o ideal é procurar imediatamente um serviço de recuperação de dados profissional.

Programas de recuperação, especialmente num RAID 0, podem acabar só comprometendo mais ainda os seus ficheiros. Evite soluções mágicas da internet e, de nenhuma forma, abra o disco. Isso só gerará mais danos físicos, muito difíceis de reverter.

Empresas com a Bot oferecem recuperação de dados com segurança. Temos mais de uma década de experiência na área e mais de 60 mil casos atendidos, com uma taxa de 95% de sucesso. As hipóteses de resolver os seus problemas com um profissional são muito maiores, então confie em quem tem experiência.

Quer saber mais sobre a Bot? Acompanhe a gente no Instagram, no Twitter e no Facebook e conheça mais do nosso trabalho!